Regulamento da Taça Amadora de Futebol 2020

Art.1º – Este Regulamento é o conjunto das disposições que regem a Taça Amadora de Futebol – doravante também denominada de TAF que será promovida e organizada pelo UNIÃO ESPORTE CLUBE. Não sendo permitido sua cópia, parcial ou integral, sem autorização legal.

Art.2º – A Competição tem por finalidade promover o intercâmbio e o congraçamento entre Atletas, Dirigentes, Clubes e Entidades do Futebol Amador da cidade de São Paulo.

Art.3º – O UNIÃO ESPORTE CLUBE, detêm todos os direitos relacionados a esta Competição Amadora, que tem como legítimo apoiador principal a Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ) por intermédio da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte (LPIE), portanto, é um evento GRATUITO.

Art.4º – Será nomeado um Comitê Dirigente visando a organização da Competição, também chamado de Comitê Organizador (C. Organizador).

Art.5º – Caberá ao departamento técnico da Organização a realização e elaboração das tabelas em todas as fases.

Art.6º – A TAF será disputada somente pelo gênero masculino com idades entre 18 anos (podendo completar no ano da execução) à 45 anos.

Art.7º – A Competição terá início agosto e término em dezembro, podendo se estender por um mês ou mais meses, quando se fizer necessário ou por motivos de força maior.

Art.8º – As equipes que participarem da Competição serão consideradas conhecedores deste Regulamento e assim se submeterão a todas as determinações que dele possam emanar.

Art.9º – As equipes participantes deverão ter um CNPJ, e cuidar, a princípio, das responsabilidades a elas destinadas.

§1º – As equipes serão responsáveis pelo acolhimento e envio ao C. Organizador dos Atestados de Aptidão Física e do Atestado de Direito de Imagem dos atletas.
§2º – As equipes, ao fazerem suas inscrições, estarão se comprometendo a cumprir o regulamento de forma integral, não cabendo nenhum recurso ou entrada na justiça comum, sob pena de exclusão em definitivo de todas competições organizadas pelo UNIÃO ESPORTE CLUBE e serem processadas na vara cível, por descumprimento deste.
§3º – As inscrições somente serão confirmadas após atender às exigências já especificadas nos artigos deste Regulamento.
§4º – As inscrições serão limitadas, prevalecendo a ordem de inscrição no Site da TAF.
§5º – O Comitê Organizador da TAF, poderá solicitar ao Gestor das Equipes, em qualquer fase da competição, documentos que comprovem as informações prestadas nos formulários de inscrição, sendo que o não atendimento dessa solicitação no prazo estipulado provocará a desclassificação sumária das equipes.
§6º – Para o preenchimento dos formulários de inscrição, deverão ser observadas as determinações do Regulamento, assim como instruções divulgadas no site oficial do evento.
§7º – Esta Competição tem como apoiador principal a Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo (SELJ) por intermédio da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte (LPIE) e apoiadores de empresas privadas, para tal, toda orientação de exploração de Marketing dentro do campo e uniformização, está de acordo com as leis vigentes, não cabendo qualquer ação ou processo às Marcas
publicitárias exposta Art.10º – Para poder participar da Taça Amadora de Futebol – 2020, as equipes deverão fazer as inscrições junto ao Comitê Organizador do União Esporte Clube, ON LINE, pelo Site Oficial da TAF, que se reservará o direito de aceitação ou não da inscrição, com base na trajetória pregressa da equipe, perante outras competições.
a) O prazo final para entregar a relação com no máximo 30 (trinta) e um mínimo de 18(dezoito) atletas inscritos será até dia 30/08/2020; após esta data não mais poderão ser anexados novos atletas à relação nominal.
b) O início da Competição está prevista para ter início dia 12/09/2020.

Art.11 – Esta é uma competição amadora, portanto não será permitido a participação de atletas profissionais, inscritos como tal, na modalidade pela CBF, respeitando os termos da Lei no 9.615, de 24 de março de 1998 e a definição constante dos arts. 457 e 458 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943.

Art.12 – O atleta não poderá ser inscrito por mais de uma Equipe.

§1º – Caso ocorra a dupla inscrição, o atleta poderá optar por qual equipe irá disputar a Competição até 10 (dez) dias antes de seu início, para tal deverá ser enviado, por sua equipe excluidora, um oficio à Organizadora, informando o fato.
§2º – O atleta da equipe desclassificada não poderá, em hipótese alguma, ser transferido para outra classificada, ainda que não tenha jogado, sob pena de desclassificação da equipe em que este se inscreveu.
Art.13 – A Equipe será responsável pela idoneidade dos documentos apresentados, podendo ser punida a qualquer momento que for descoberto a falta de lisura ou veracidade a que se comprometeu.

Art.14 – As condições fundamentais para que um atleta participe de uma partida:

a) Estar devidamente inscrito na Competição e constar da relação nominal;
b) Apresentar um dos seguintes documentos oficiais do Brasil em ORIGINAL:
1. Carteira de Identidade (RG),
2. Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
3. Carteira de Trabalho sem rasuras;
4. Carteira de Entidades Profissionais de classe (CREF, CREFITO, OAB, etc.), desde que tenha foto
recente e sem rasuras;
5. Passaporte ou Carteira Modelo 19 (Só para estrangeiros).
6. Em hipótese alguma, será aceito qualquer outro documento, xerox ou fotocópias mesmos
autenticados;
c) Não estar cumprindo pena imposta pela Justiça Desportiva;
d) Satisfazer a todas as exigências do Regulamento.
e) Ter assinado o Termo de Responsabilidade de Aptidão Física.
f) Ter assinado o Termo de Uso de imagem.
g) Não usar doping ou qualquer tipo de droga, independentemente de ser ou não lícita como álcool e ou ilícitas. Caso o atleta seja identificado como usuário ou sob efeito dos mesmos, será desligado da equipe e a mesma poderá até ser punida com a exclusão da competição, tendo a suspensão das próximas Taças por 2 anos consecutivos.
h) Não usar qualquer tipo de medicamento continuo que possa causar efeitos de alteração comportamental disciplinar

Art.15 – Poderão permanecer no banco de reservas:
a) Até 07 (sete) atletas uniformizados e devidamente inscritos na TAF.
b) 01 (um) médico, devidamente uniformizado, desde que apresente o CRM com data de validade em vigor;
c) 01 (um) técnico ou treinador desde, que apresente RG ORIGINAL ou documento de fé pública;
d) 01 (um) preparador físico, que deverá estar registrado no Conselho Regional de Educação Física (CREF), sendo obrigatória a apresentação do documento emitido pelo órgão (definitivo), com prazo de validade em vigor, que em caso de exclusão, ou qualquer impedimento da continuidade de participação do técnico, poderá exercer as mesmas funções interinamente. O não cumprimento dessa exigência implicará no impedimento de sua participação.
e) 01 (um) massagista desde que apresente RG ORIGINAL ou documento de fé pública ou Fisioterapeuta, que será identificado com CREFITO válido.

Art.16 – Cada equipe poderá efetuar até 07 (sete) substituições por partida usando um máximo de duas paradas, sem contar o intervalo de jogo.

Art.17 – A duração de cada partida será de dois períodos de 40 (quarenta) minutos, com intervalo de 10 (dez) minutos entre ambos.
Art.18 – As equipes deverão se apresentar em campo, devidamente uniformizada e com documentos Originais dos atletas que começarão jogando, com o mínimo de jogadores permitidos pelo Regulamento, 20 (vinte) minutos antes do início de cada partida, ou seja, no mínimo ao término do primeiro tempo da partida que anteceder a sua.
§1 – O número mínimo de atletas em campo para iniciar e manter se em campo será de 7 atletas e se por acaso, alguém dessa equipe que contenha 7 (sete) atletas, mais um for expulso no transcorrer da partida, a mesma será dada como perdedora por W X O.
§2 – Em caso do atraso de algum atleta, este deverá apresentar a documentação aos responsáveis pela arbitragem e quando o mesmo estiver devidamente uniformizado poderá ser autorizado seu ingresso ao jogo.

Art.19 – A forma de disputa será em eliminatória simples, isto é, somente as equipes vencedoras de seus respectivos jogos, darão continuidade na competição.
§1 – Em caso de empate, no tempo regulamentar, será usado o critério de cobranças de pênaltis em número de 3(três) para cada lado alternadamente e se, ainda, assim persistir o empate, serão cobradas penalidades até se possa conhecer um vencedor.
§2 – Nas fases regionais não haverá premiação, apenas para o Campeão, Vice-campeão e terceiro colocado Geral da Taça Amadora de Futebol que receberão taças, além das medalhas correspondentes aos postos alcançados. Haverá ainda uma premiação com troféus aos atletas e a equipe finalistas destacados como:
 Artilheiro da competição
 Goleiro menos vazado
 Equipe Fair-Play
§3 – Se houver empate entre os finalista a vencedores dos troféus o critério a ser usado será o pertencente a equipe com menor número de cartões vermelhos, depois amarelos, depois maior número de gols marcados pela equipe. Se, ainda assim, persistir, o desempate será no “cara e coroa”.

Art.20 – Para a realização de partidas do Campeonato, as equipes deverão comparecer totalmente uniformizadas.

Art.21 – As camisas de jogo, devidamente numeradas e com aplicação das propriedades dos apoiadores da TAF, em número de 18(dezoito) serão concedidas, em caráter definitivo, a todas as equipes participantes, exceção feita à Caneleiras e as chuteiras, que por serem acessórios obrigatórios, são de uso pessoal. Os uniformes deverão ser conservados, lavados e reutilizados em todas as partidas da TAF. Em caso de coincidência de cor de camisas, será fornecido, pela Organização, um jogo de coletes numerados, os quais deverão ser devolvidos após a partida.
§ único – A caneleira, é um acessório pessoal e neste caso, indispensável para a segurança, faz parte obrigatória do uso na Competição, devendo o árbitro, não autorizar a entrada do atleta em campo sem a mesma.

Art.22 – Os locais e horários das partidas serão determinados pelo C. Organizador que deverá fazer a divulgação no site da TAF, na semana após completada a rodada.

Art.23 – Depois de elaboradas as tabelas não serão permitidas alterações, ressalvas motivos de força maior, devidamente analisado pela C. Organizadora, não cabendo protestos.
§ 1º – Somente o C. Organizador poderá transferir as partidas, não necessitando para tanto da aprovação das Equipes participantes.
§ 2º – As partidas poderão ter suas datas, horários e locais alterados pelo C. Organizado, por solicitação de meios de comunicação ou pela Policia Militar por medida de segurança ou de força maior.

Art.24 – Após a data de publicação da tabela no Site Oficial da Competição, que é: http://uniaoec.com. a equipe que por qualquer razão deixar de participar da Competição será impedida de disputar a mesma na temporada seguinte.
§ 1º – Quando uma Equipe abandonar a disputa de uma Competição após o seu início, as partidas por este disputadas, serão consideradas válidas e as partidas, ainda não disputadas, serão decididas por W.O. em favor dos adversários, sem prejuízo das penalidades impostas pela JD.
§ 2º – "W.O." – imposição da perda da partida pelo placar de 3×0 (três a zero) a equipe que der causa à sua não realização ou continuidade, nas hipóteses previstas no Regulamento Geral das Competições da FPF. Caso a partida já tenha se iniciado e a equipe adversário estiver em vantagem igual ou superior a três gols de diferença, o placar será mantido. Em qualquer hipótese, as partidas decididas por W.O. serão consideradas como realizadas para fins de cumprimento de punições decorrentes da aplicação de cartões.

Art.25 – As partidas adiadas, interrompidas ou suspensas serão solucionadas levando-se em conta os motivos determinantes ou por decisão do Comitê Organizador.

Art. 26 – A equipe que vencer o jogo, automaticamente passa para fase seguinte.

Art.27 – Quando houver empate no tempo normal, será apurada a equipe vencedora através da cobrança de 3(três) penalidades máximas e se persistir empatado, serão cobradas penalidades tantas quantas sejam necessárias, por diferentes atletas, até que haja uma equipe vencedora.

Art.28 – A Justiça Desportiva da Competição será aplicada pela Comissão Disciplinar constituído pelo Comitê Organizador da TAF, sempre quando se fizer necessário.

Art.29 – Em caso de omissão de alguma penalidade no Regulamento, as mesmas serão aplicadas de acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva e as decisões tomadas produzirão efeito imediato.

Art.30 – A Comissão Disciplinar tem por incumbência apreciar e julgar todas as infrações cometidas pelas equipes, atletas, dirigentes e por pessoa física ou jurídica, direta ou indiretamente vinculadas às Equipes ou a serviço de qualquer um deles.

Art.31 – O atleta que receber cartão vermelho (expulsão) ficará suspenso da partida seguinte (automática), independente das demais penas que poderão ser aplicadas pela Comissão Disciplinar.

Art.32 – Quando um atleta for advertido com um cartão amarelo e, posteriormente, for expulso de campo com a exibição direta de cartão vermelho, serão considerados o cartão amarelo e o cartão vermelho.

Art.33 – Quando um atleta for advertido com um cartão amarelo e, posteriormente, receber o segundo cartão amarelo, com a exibição consequente do cartão vermelho, será considerado apenas o cartão vermelho.

Art.34 – O cartão amarelo será acumulativo para efeito de suspensão automática. E será acumulativo até para as finais e efeito de desempate nos critérios a ele atribuído.

Art.35 – O controle de contagem do número de cartões amarelos e vermelhos recebidos pelos atletas é de única e exclusiva responsabilidade das equipes.

Art.36 – A Equipe que provocar, qualquer ato de indisciplina destruições, distúrbios e/ou agressões antes, durante e/ou depois da partida será eliminado do Competição em curso e excluído de suas 02 (duas) próximas edições. Estas penalidades não isentam possíveis sanções potencializadas pelo Comitê Organizador e até mesmo nas esferas cível e criminal.
§ 1º – As equipes serão responsáveis pelo comportamento disciplinar de suas devidas torcidas
§ 2º – Em caso de reincidência, o afastamento da equipe será ampliado para as suas 05 (cinco) próximas edições.
§ 3º – Caso os distúrbios e/ou agressões sejam causados isoladamente por atletas, dirigentes ou membro da comissão técnica, a pena será individualizada com afastamento imediato dos envolvidos por 01 (um) ano. Em caso de reincidência o afastamento dos mesmos será ampliado para 02 (dois) anos. Não isentando o autor de possíveis sanções potencializadas pela Comissão Disciplinar do Comitê Organizador e até mesmo nas esferas cível e criminal.

Art.37 – Toda e qualquer representação, devidamente fundamentada, deverá ser dirigida ao Comitê Organizador da TAF.
§ 1º – Serão apreciadas representações formuladas pelas equipes que tenham comprovado interesse no resultado, firmadas pelo dirigente responsável pela equipe junto ao Campeonato.
§ 2º – Caberá exclusivamente ao impetrante o fornecimento de provas das irregularidades.
§ 3º – As representações deverão ser apresentadas até as 17h (dezessete horas) do 1º (primeiro) dia útil após a realização da partida; após esse prazo o resultado estará automaticamente homologado não cabendo representação.
§ 4º – Todas as pessoas participantes da TAF que infringirem este Regulamento, Editais, Regimentos e/ou decisões do Comitê Organizador, ou ainda que cometerem faltas disciplinares no decorrer dos jogos, estarão sujeitas, no que couber, às sanções previstas por este Regulamento Geral, bem como nas previstas pela legislação competente em vigor.
§ 5 – Não cabem, sob hipótese alguma, protestos às decisões disciplinares, técnicas e administrativas do Comitê Organizador.

Art.38 – O UNIÃO ESPORTE CLUBE, não se responsabilizará por acidentes ocorridos com atletas, dirigentes e membros da comissão técnica antes, durante ou depois de qualquer partida, cabendo as equipes participantes as providências quanto às condições de aptidão física/clínica do atleta para a prática da modalidade.
§ Único – Haverá à disposição, em cada local do evento, uma ambulância com um enfermeiro e assistente de enfermagem, cuja missão de socorro deverá ser de estabilização do paciente e remoção para um pronto socorro público, caso o atleta não tenha plano de saúde.

Art.39 – Será considerado mandante a equipe que se encontrar à esquerda na programação das partidas.

Art.40 – O C. Organizador, poderá a qualquer momento realizar diligências para apurar irregularidade, devendo ser comprovadas tomar medidas administrativas.

Art.41 – Serão de responsabilidade dos participantes o transporte e alimentação dos atletas em todas as partidas.

Art.42 – As equipes deverão aceitar e atender as ações dos patrocinadores oficiais da TAF, por eles propostas, desde que não interfiram no desenvolver das partidas.

Art.43 – Técnica e disciplinarmente a TAF será regida pelas Regras do Jogo da Internacional Football Association Board, publicadas pela FIFA, pelos dispositivos do Código Brasileiro Disciplinar vigente e pelas Leis 9.615/98 e 10.671/03, ou ainda, outras que sejam instituídas, ressalva adaptações deste Regulamento.

Art.44 – As equipes deverão atender as exigências inseridas no Anexo I referente ao COVID19

Art.45 – – A equipe inscrita na TAF, sobre qualquer pretexto, não poderá apelar para a Justiça comum sob pena de pagamento de multa pecuniária a ser calculada pelo departamento jurídico do União E.C.

Art.46 Os casos omissos serão resolvidos a parte, respeitando a legislação vigente do país.

PROTOCOLO PARA RETOMADA DAS ATIVIDADES ESPORTIVAS DO PROJETO TAÇA AMADORA DE FUTEBOL, CONSIDERANDO O IMPACTO DO COVID-19 NO ESPORTE, ATIVIDADES FÍSICAS E BEM-ESTAR TODOS OS ATLETAS, MEMBROS DA COMISSÃO TÉCNICA, DIRETORES, ORGANIZADORES E COLABORADORES DIRETOS E TERCEIRIZADOS ENVOLVIDOS COM A COMPETIÇÃO DEVERÃO REALIZAR OS PROCEDIMENTOS ABAIXO.

INTRODUÇÃO

O UNIÃO ESPORTE CLUBE, atendendo as exigências legais emanadas pelo governo de S. Paulo, criou e está difundindo os protocolos de cuidados básicos de prevenção e combate a pandemia da Covid-19.

Agregado com as comunidades e equipes participantes deste evento na Cidade de S. Paulo, as informações aqui prestadas, tem o objetivo de corroborar com as medidas tomadas pelo Governo, seguindo alguns procedimentos para o gerenciamento de pessoas nas instalações esportivas durante a execução do Projeto da Taça Amadora de Futebol, visando à segurança de todos os participantes e colaboradores:

PREMISSAS

O período dos jogos, está previsto para iniciar em setembro de 2020, mas irá depender das liberações das autoridades municipais e estaduais;
Este evento será feito sem a presença de público;
Os atletas deverão vir para o local de jogo uniformizados evitando com isso o uso de vestiários coletivos e suas aglomerações;
O acesso às instalações deverá ser permitido, somente, para colaboradores, atletas e integrantes de equipes multidisciplinares que fazem parte do evento, devidamente relacionados pelo Organizador, de acordo com as restrições definidas em cada fase pelos critérios para este acesso;
Na entrada dos locais de jogos, haverá demarcações de proibição de acesso ao público em geral, quer sejam arquibancadas ou espaços de ocupação em pé que será interditado, por meio de fita zebrada, para restringir passagens apenas aos colaboradores do evento, sendo assim todos que chegarem à praça desportiva serão submetidos ao seguinte processo:

Destacamos assim os desafios impostos para a pauta dos esportes, atividades físicas e bem-estar:

1 COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO

1.1 Iremos exibir em local visível na entrada de locais de competição as informações acerca da covid-19 e das medidas de prevenção;
1.2 Iremos realizar o registro diário de todos os atletas, comissões técnicas e colaboradores, informando os horários de entrada e saída dos locais de treinamento e competição, para controle, caso se verifique algum caso confirmado ou suspeito de covid-19;
1.3 Atletas, treinadores, diretores, coordenadores, colaboradores e terceirizados precisam estar cientes das indicações encontradas nas diretrizes sanitárias governamentais.

2 HIGIENIZAÇÃO E DESCONTAMINAÇÃO

2.1 Os banheiros serão higienizados antes de cada partida e será permitido o seu uso, apenas de, no máximo, 2 (duas) pessoas por vez;
2.2 Iremos disponibilizar álcool gel aos atletas, praticantes e todos os demais presentes aos locaisde competição;
2.3 Iremos disponibilizar sabonetes líquidos e locais com água corrente para assepsia das mãos;
2.4 Utilização de um tapete de desinfecção e higienização de calçados e álcool gel na entrada do campo que será aplicado nas mãos dos ingressantes no recinto

3 MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

3.1 Todos os atletas, praticantes e demais presentes aos locais de competição devem USAR MÁSCARA, retirando-as, apenas, QUANDO ESTIVER EFETIVAMENTE JOGANDO COMO TITULAR. Os atletas deverão trocar a máscara toda vez que estiver úmida, acondicionando em embalagem própria e com tampa a máscara já utilizada;
3.2 Os atletas deverão trazer de casa sua hidratação, e não socializar, nem utilizar recipientes de outras pessoas (squeezes, toalhas etc.). Se tiver que usar os bebedouros, evite tomar diretamente. Primeiro higienize e depois utilize seu copo ou garrafa para encher d ́água;
3.3 Lavar com frequência as mãos até os punhos, com água e sabão, ou higienizá-las com álcool em gel 70%;
3.4 Os atletas poderão utilizar os métodos de desinfecção disponibilizados nos eventos esportivos e uso de outros sanitizantes além do álcool gel, lavagem das mãos e água sanitária;
3.5 Os atletas deverão praticar etiqueta para tosse (manter distância de pelo menos 2 metros, cubra a tosse de preferência com o cotovelo e espirre com tecidos ou roupas e lave as mãos);
3.6 Os atletas deverão evitar apertar as mãos ou abraçar e tocar a própria boca, nariz ou olho.
3.7 Os atletas deverão utilizar seus próprios equipamentos esportivos. Na impossibilidade de fazê-lo, é necessária a desinfecção do equipamento antes de utilizá-lo;
3.8 Os atletas deverão manter a distância de ao menos 1,5 metros de outras pessoas, para qualquer situação de competição, exceto quando em campo como titular.

4 MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVA

4.1 Recomenda-se aos atletas não levarem mochilas e/ou acessórios que demandem cuidados, com exceção de garrafas de água ou squeezes e toalha individual. Quando for necessário a utilização de acessórios, estes devem ficar em locais de acesso sem aglomeração;
4.2 Checar a temperatura dos frequentadores antes de adentrar espaço de competição e, não autorizando a entrada de pessoas, tanto atletas quanto colaboradores, com temperatura de 37,8º ou mais nos locais de competição;
4.3 Evitar aglomerações nos momentos antes e após os jogos;
4.4 Reforço na limpeza dos equipamentos e locais de jogos e circulação de pessoas, principalmente os de uso comum. A cada sessão de competição será realizada desinfecção do local com produtos apropriados;
4.5 Não será permitido utilizar guarda volumes nem outros locais onde pode ocorrer estímulo a aglomeração de pessoas;
4.6 Respeitar os horários marcados e recomendamos que as equipes cheguem somente nos horários estipulados no local do evento, e ao término do jogo, não façam reuniões, retornando imediatamente as suas residências;
4.7 As cadeiras de reservas fixada com cordas de nylon, com distanciamento de 1,5 metros, devidamente higienizadas antes e depois de seus usos, em substituição aos bancos contínuos de reservas tradicionais;

5 ADEQUAÇÃO DOS LOCAIS E FORMAS DE PRÁTICA

5.1 Os locais de jogos deverão abster-se de usar cancelas ou catracas que obriguem o uso das mãos para permissão de entrada. Em caso de impossibilidade de desativação das existentes, a entrada do usuário deverá ser liberada por funcionário que utilize equipamentos de proteção individual;
5.2 Em caso de utilização de escritório fechado, manter portas e janelas constantemente abertas, e circulação de ar. Não utilizar ar condicionado;
5.3 As superfícies tocadas com mais frequência, como mesas, maçanetas, interruptores de luz, torneiras, corrimões, pias e dispositivos eletrônicos, entre outros, serão higienizados rotineiramente;
5.4 Todos os fluxos dentro do local de jogos serão unidirecionais;
5.5 O fisioterapeuta ou massagista deverá fazer todos os seus atendimentos, quando necessário, usando, além da máscara, com luvas descartáveis, fazendo a troca da mesma, após cada suporte.

Comissão Organizadora